Arquivo para março \10\UTC 2008

Pato Fu no japao100

Fernanda Takai, vocalista da banda Pato Fu, revela ao site http://www.japao100.com.br que seu bisavô paterno, que era militar no Japão, veio no primeiro navio de imigrantes japoneses rumo ao Brasil: o Kasato Maru, em 1908. Ele foi parar numa região próxima a Lucélia, no interior de São Paulo. “Esse meu bisavô, como a maioria dos japoneses, foi trabalhar na cultura de café”, explica.

Em 2005, ela foi conhecer a terra de seus ancestrais. Lá Fernanda teve a idéia de gravar um videoclipe. “Com uma câmera digital, coloquei um foninho de ouvido e fui dublando a música e andando com uma roupa de coelhinho na rua. Ninguém se incomodou com o meu visual. No Japão, as pessoas podem ser elas mesmas, de uma forma genuína.” O depoimento de Fernanda será publicado na próxima quarta-feira, dia 5.

EXPOSIÇÃO “MARROCOS”

O Museu de Arte Brasileira da FAAP realiza, a partir de 31 de março, pela primeira vez no Brasil, a exposição “Marrocos”.

A mostra, que reúne cerca de 500 obras, tem como objetivo apresentar ao público o país em suas tradições e em sua modernidade artística.

O Marrocos – Al Maghreb el Aksa (Extremo Poente) – país do Magreb situado no extremo noroeste do continente africano, se encontra próximo da Europa, o que resultou em séculos de trocas e dominações recíprocas.

Uma das características marcantes do Reinado do Marrocos, terra de convergência e de mistura de culturas diversas, é de ter conseguido manter sua identidade ao longo da história. Se a bagagem que os estrangeiros trouxeram ou as relações como a que teve com sua vizinha Espanha puderam lhe influenciar ao curso dos séculos, o país soube assimilar as novas culturas, mas sem perder sua identidade. Este país conservou sua alma. É esta alma, através de múltiplas obras de arte e peças artesanais, que a FAAP quer que o espectador descubra, assim como já descobriram os viajantes que pisaram em seu solo.

Este país é o único exemplo no Magreb da existência de uma extraordinária mestiçagem, onde as tradições e as técnicas artesanais de alto nível são vivas, o que tornam tênues as fronteiras entre a arte e o artesanato.

A maioria dos viajantes que passou pelo Marrocos ficou encantada e se deixou seduzir pela hospitalidade oferecida por seus habitantes. Neste país, a arte de viver e de acolher o visitante é uma constante. Continue lendo ‘EXPOSIÇÃO “MARROCOS”’